Correias em PVC ou PU: você sabe a diferença?

Você, provavelmente, já conhece os benefícios de ter um sistema de correias transportadoras. Ele ajuda as instalações de manufatura a economizarem tempo, esforços e recursos, automatizando as operações manuais de produção.

Fáceis de instalar, operar e manter, as correias transportadoras trazem uma série de benefícios. Contudo, para maximizar a produtividade do transportador, reduzir os custos de mão de obra e alcançar índices de contaminação zero, as indústrias precisam observar uma série de fatores relacionada a elas.

Abaixo, explicamos o que pode influenciar a desempenho das correias transportadoras e como elas podem levar eficiência máxima às linhas de produção.

A origem dos sistemas de correias transportadoras

Um sistema de correias transportadoras pode ser uma ferramenta de manuseio de materiais, muito básica ou extensiva, que realoca uma variedade de materiais de um local para outro. Em processos operacionais com excesso de tamanho, peso ou uma infinidade de produtos em rápida secessão, esses sistemas podem ser uma ferramenta muito útil para melhorar a produtividade e a proteção dos funcionários.

Várias empresas em todo o mundo consideram e instalam equipamentos transportadores para melhorar o manuseio de materiais e as condições de trabalho. A busca por segurança e aumento da produtividade têm sido um fator-chave no desenvolvimento de correias para transporte por séculos, começando desde o Reino Antigo, no Egito.

De lá pra cá, as correias transportadoras evoluíram e, hoje, é possível contar com sistemas mais rápidos, resistentes e duráveis. Mas o que, exatamente, impacta na eficiência desses sistemas? É sobre isso que falaremos a seguir.

A escolha da correia transportadora certa

A correia transportadora é o único componente em contato com a polia de acionamento e o produto, mas, apesar disso, é frequentemente negligenciado. Ela pode melhorar muito o desempenho do sistema transportador se for devidamente selecionada e instalada, ou causar dores de cabeça em situações contrárias.

Existem milhares de estilos de correias transportadoras, materiais, espessuras, superfícies e cores a considerar. Como a correia é um investimento e, às vezes, difícil de instalar corretamente, acertar na primeira vez é importante.

O tipo, espessura, superfície, material e aplicação vão orientar a decisão da compra da correia transportadora. Se você estiver na indústria de manuseio de alimentos, por exemplo, precisará conhecer detalhadamente a aplicação e os requisitos de carga para selecionar o tipo certo de sistema.

Outras indústrias podem exigir uma correia que auxilia o transportador quando os itens são desviados. Sua aplicação, carga e requisitos determinarão o tipo correto. Por isso, é importante conhecer esses detalhes para fazer uma escolha certa.

Correias transportadoras na indústria alimentícia

A indústria alimentícia está evoluindo a cada dia — integrando automação e maquinário para tornar o sistema de processamento e manuseio eficiente, seguro e sanitário. Com a constante mudança e competição prevalente na indústria, os processadores de alimentos devem trabalhar para melhorar as operações diárias com o sistema de correias transportadoras certo para garantir os melhores resultados.

A escolha da solução certa pode ajudar a manter um nível de eficiência durante o processamento e o acondicionamento dos principais fabricantes do setor para obter ter sucesso nos resultados.

No entanto, isso implica compreender a diferença entre as duas principais classificações de correias na indústria: Policloreto de Vinila (PVC) versus Poliuretano Termoplástico (PU).

Correias de PVC

As correias transportadoras de policloreto de vinila são padrões na indústria alimentícia, e podem ser usadas para aplicações básicas no processamento e manuseio de alimentos.

O PVC cresceu e se tornou o terceiro plástico mais produzido no mundo, conhecido por sua durabilidade e facilidade de uso.

Uma correia transportadora revestida em PVC é mais adequada para manuseio de materiais, aplicações de produção de panificação e processamento de carne, peixe e laticínios.

Essas correias fornecem boa resistência química, à água quente e ao vapor. Com base em necessidades específicas e fabricantes de correias transportadoras, também existem modelos à prova de chamas.

Com resistência limitada à abrasão e resistência limitada a solventes e gordura vegetal e animal, as correias de PVC são mais adequadas para o processamento de frutas e vegetais e operações mais simples, com requisitos especiais limitados.

Existem, no entanto, um PVC especial produzido com pasta N, que oferece maior resistência ao contato com gordura vegetal, animal, óleo e graxas.

Para aqueles que desconhecem as especificações para o processamento de alimentos, as correias de PVC são uma escolha confiável e favorável no preço, em comparação com outras correias transportadoras.

Correias de PU

Outra categoria de material para correias transportadoras da indústria alimentícia é o Poliuretano Termoplástico. O PU pode ser extremamente útil para aplicações de alto desempenho, pois fornece propriedades essenciais que outros tipos de polímeros similares não oferecem.

Embora as correias transportadoras de PU sejam classificadas em categorias diferentes com base em sua natureza, as características gerais incluem alta resistência ao desgaste, abrasão e a óleos e gorduras vegetais, animais e minerais.

Esses fatores-chave tornam as correias transportadoras PU ideais para uso na indústria de alimentos, com aplicações altamente exigentes, como a de confeitaria, exigindo adaptabilidade a mudanças de temperatura, abrasão superior e superfícies fáceis de limpar — contribuindo para a contaminação zero.

Existem, também, diferentes opções de PU disponíveis com base em diferentes necessidades, tais como correias com melhor resistência à hidrólise e maior flexibilidade a temperaturas mais baixas ou modelos com maior resistência à oxidação térmica.

As correias em PU podem ser produzidas por espalmo ou calandro. Por espalmo, são produzidas através do pó de PU derretido e, no resultado final, ficam mais porosas e mais sujeitas à contaminação. Correias produzidas por espalmo não trabalham com transferência em faca. A produção por calandro utiliza o filme de PU extrusado e garante correias mais densas e mais seguras em relação à contaminação. São as correias mais adequadas para utilização em ambientes adversos e trabalha com excelência com transferência em faca.

As correias PU oferecem superfícies lisas para reduzir os depósitos bacterianos e facilitar o processo de limpeza. Embora o material possa exigir um investimento maior, elas são altamente adequadas para uma variedade de processos alimentares modernos, que possuem requisitos especiais para o contato direto com o alimento no sistema.

Existem várias correias de processamento de alimentos especiais, cada uma adequada para uma aplicação ou ponto específico no processo de alimentação. Desde a seleção precisa de materiais até a personalização exclusiva da correia, as soluções de esteiras líderes da indústria estão disponíveis para criar um local de trabalho seguro e eficiente para qualquer linha de negócios.

Entre em contato conosco e converse com um dos nossos consultores para escolher a melhor solução para a sua indústria e até a próxima.

(Visited 145 times, 1 visits today)
Whatsapp - Vanderhulst