O papel da correia transportadora na segurança sanitária

As correias transportadoras tem um papel impactante na busca pela segurança sanitária e contaminação zero das linhas de produção

A segurança sanitária na indústria alimentícia é assunto sério e não é de hoje que se discute o papel das correrias transportadoras na redução da contaminação nas linhas automatizadas.

O transporte de materiais a granel através de correias remonta ao século XVIII, onde elas eram usadas originalmente na indústria agrícola para transportar grãos em curtas distâncias.

De lá para cá, muita evolução aconteceu e as correias se tornaram muito mais sofisticadas e modernas. Hoje, elas estão presentes em uma gama diversa de indústrias; mas é na indústria alimentícia que ela cumpre um papel fundamental.

A grande questão é: como as correias transportadoras possibilitam a redução da contaminação? Ficou interessado? Continue lendo conosco e veja como selecionar as correias transportadoras mais adequadas para assegurar a segurança sanitária da sua linha de produção!

As correias transportadoras na indústria alimentícia

As correias transportadoras revolucionaram a indústria de alimentos. Além de apresentar como uma maneira eficiente e econômica de transportar as mercadorias, elas podem ser integradas ao processo de fabricação, melhorando exponencialmente a produtividade.

Contudo, as correias também estão associadas a uma grande preocupação: a segurança sanitária. Isso porque, no equipamento transportador, são as correias que entram em contato direto com os alimentos ou a matéria-prima. Sem as especificações corretas e os devidos cuidados, elas podem sofrer impregnação ou ser um agente de proliferação de microorganismos, participando de forma direta ou indireta na contaminação do produto final.

Por isso, as correias transportadoras são uma preocupação central da indústria de alimentos, frequentemente consideradas como um item importante quando se trata de segurança sanitária.

Mas o que a lei diz sobre o assunto? Vamos dar uma olhadinha a seguir.

As regras da Anvisa para segurança sanitária

A Anvisa, Agência Nacional de Vigilância Sanitária, é quem determina as Boas Práticas para Fabricação (BPF), regras que visam garantir a segurança sanitária na indústria alimentícia.

Basicamente, a BPFs reúnem as medidas que devem ser tomadas para eliminar a contaminação na indústria de alimentos. Isso inclui medidas para qualidade da água, recebimento e estocagem das matérias primas, higiene pessoal da mão de obra, controle de pragas, calibração de instrumentos, entre outras.

Em relação às superfícies de contato com os alimentos, a BPF exige:

  • Superfícies em contato com alimentos lisas, íntegras, impermeáveis, resistentes à corrosão, de fácil higienização e de material não contaminante;
  • Equipamentos da linha de produção com desenho que permita uma fácil higienização (lisos, sem rugosidades e frestas);
  • Dispostos de forma a permitir fácil acesso e higienização adequada;
  • Em adequado estado de conservação e funcionamento.

A importância do layout da linha na segurança sanitária

Como especificado nas regras da Anvisa, o layout da linha da fábrica e do sistema de correias deve permitir fácil manutenção e limpeza do maquinário e evitar a contaminação dos produtos alimentícios e ingredientes durante o processo de produção.

O projeto do maquinário usado para o transporte de alimentos deve ser levado em consideração para cumprir as normas de segurança alimentar. Isso porque um projeto inadequado pode resultar no acúmulo de material alimentício em locais escondidos e difíceis de limpar.

Existem padrões para o design de correias transportadoras para garantir que todo o manuseio e processamento de alimentos seja realizado com um alto padrão de higiene. Esses padrões incluem:

  • Limpável a um nível microbiológico: os equipamentos de alimentos devem ser construídos e mantidos para garantir que possam ser limpos e higienizados com eficácia e eficiência durante toda sua vida útil;
  • Feito de materiais compatíveis: as superfícies em contato com alimentos devem ser lisas, íntegras, impermeáveis, resistentes à corrosão, de fácil higienização e de material não contaminante;
  • Prontamente acessíveis: todas as partes do equipamento devem ser prontamente acessíveis para inspeção, manutenção, limpeza e sanitização;
  • Nenhum acúmulo ou coleta de líquido: o equipamento deve ser autodrenante para garantir que o produto alimentício, a água ou o líquido do produto não se acumule nem se condense no equipamento ou nas áreas da zona de produto;
  • Áreas ocas hermeticamente fechadas: as áreas ocas do sistema (por exemplo, armações, rolos) devem ser eliminadas quando possível ou permanentemente vedadas.

Porque usar correias transportadoras em PU

A principal categoria de material para correias transportadoras na indústria alimentícia é o Poliuretano (PU). Este material pode ser extremamente útil para aplicações de alto desempenho, pois fornece propriedades essenciais que outros tipos de polímeros similares não possuem.

Embora as correias transportadoras em PU sejam classificadas em categorias diferentes, com base em sua natureza, suas características gerais incluem alta resistência ao desgaste e abrasão, além de alta resistência a óleos e gorduras vegetais, animais e minerais.

Esses fatores-chave tornam as correias transportadoras em PU ideais para garantir a segurança sanitária na indústria de alimentos, em ambientes com aplicações altamente exigentes, como na indústria de panificação, massas, doces e chocolates, que exigem adaptabilidade a mudanças de temperatura, abrasão superior e superfícies fáceis de limpar.

Existem também diferentes opções de PU disponíveis com base em necessidades específicas, como correias com melhor resistência à hidrólise e maior flexibilidade a temperaturas mais baixas ou correias com maior resistência à oxidação térmica.

As correias em PU oferecem superfícies com características que reduzem a impregnação, facilitando o processo de limpeza e evitando a proliferação de microorganismos.

Embora o PU tenha um custo um pouco maior para as correias transportadoras, é altamente adequado para uma variedade de aplicações em linhas de produção do segmento alimentício, com requisitos especiais para o contato direto com o alimento sobre a esteira.

Existem várias correias de processamento de alimentos especiais, cada uma adequada para uma aplicação ou ponto específico no processo de alimentação. Desde a seleção de matéria-prima ou grãos até a customização completa e exclusiva da correia, as soluções da VANDERHULST estão disponíveis para integrar um ambiente seguro e eficiente.

Qual a sua necessidade em garantir um ambiente sem riscos de contaminação nas suas linhas? Manter a segurança sanitária é fundamental? Entre em contato conosco e converse com um dos nossos consultores!

(Visited 24 times, 1 visits today)
Whatsapp - Vanderhulst